JESUS CRISTO

E

O CONSOLADOR PROMETIDO 

A BÍBLIA SAGRADA - http://www.panoramaespirita.com.br/old/biblia/index.html

http://www.oconsolador.com.br/8/principal.html

http://cenmc.org.br/downloads.html#Livros%20das%20Obras%20Básicas

http://www.oconsolador.com.br/linkfixo/bibliotecavirtual/principal.html

 

01) O Consolador = 443

02) História do Espiritismo =613

03) Nossa Última Encarnação e o Espiritismo em 2067

04) Obras Básicas da Doutrina Espírita = 600

05) Obras Básicas - Não é ainda tudo = 725

06) Obras Mediúnicas e Não Mediúnicas = http://www.ceismael.com.br/artigo/artigo005.htm

07) Revistas Espíritas = 6001

08) Livros Espíritas = 6002

09) Pesquisas Espíritas = 6003

10) Televisões, Rádios e Peças Teatrais = 6004

11) Casas Espíritas - Organização e Orientação = 445

12) Ser Espírita = 648

12) Diversos = 6005

14) Evangelhos apócrifos 

 

EDUCAÇÃO NA VISÃO ESPÍRITA

- Allan Kardec: " A Educação é o conjunto dos hábitos adquiridos";

- "Educar, portanto, é formar hábitos, e educar para o bem é formar hábitos bons";

-  (...) Educar não é proibir, mas esclarecer e vigiar.

No longo e elucidativo comentário sobre essa questão, Kardec afirma ser necessário combater o egoísmo na sua raiz "pela educação, não por essa educação que tende a fazer homens instruídos, mas pela que tende a fazer homens de bem. A educação, convenientemente entendida, constitui a chave do progresso moral".


Sobre a educação à luz do Espiritismo, Ney Lobo5 enfatiza: "A Ética Espírita é a argamassa que cimenta a Filosofia com a Educação Espírita, articulando-as funcionalmente num enlace perfeito e doutrinário: a Filosofia fornece a Ética para a Educação realizá-la."

- O conjunto dos hábitos pode ser Positivo ou Negativo, daí a necessidade portanto além da freqüência do Homem a Bancos Escolares de Campanhas Institucionais Educativas, por parte do Estado, em todos os Campos ( Econômico, Político, Psicossocial, Tecnógico e Militar), visando a eliminação dos hábitos negativos do Homem e da coletividade, intensificando os hábitos Positivos.

- Não confundir:

Política ou Estratégia  de Educação do Governo com Política ou Estratégia de Educação do Estado:

    a) Política ou Estratégia de Educação do Governo - São ações passageiras de um Governo;

    b) Política ou Estratégia de Educação do Estado - São ações Permanentes do Estado/Nação.

- Jesus é o exemplo a ser seguido. ele nos disse: "Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida, ninguém vem ao Pai senão por mim!"

OUTRO:

A VIOLÊNCIA
EM NOSSOS DIAS
-----
 
A onda crescente de delinqüência que se espalha por toda a Terra assume proporções catastróficas, imprevisíveis, exigindo de todos os homens honestos e lúcidos muitas reflexões.
 
Irrompendo, intempestivamente, faz-se avassaladora, em vigoroso testemunho de barbárie, qual se a loucura se abatesse sobre as mentes, em particular junto à inexperiente juventude, em proporções inimagináveis e aflitivas.
 
Sociólogos, educadores, psicólogos e religiosos, preocupados com a expressiva quantidade de delinqüentes de toda sorte, especialmente os perversos e violentos, aprofundam pesquisas, improvisam soluções, experimentam métodos mal elaborados.
 
Precipitadamente oferecem sugestões que triunfam por um dia e sucumbem no dia imediato, tudo prosseguindo como antes, senão mais turbulento, mais inquietador.
 
Enquanto a delinqüência estava quase que só entre os jovens das classes sociais menos aquinhoadas, era atribuída à falta de recursos financeiros e de educação.
 
Mas hoje, a mídia tem divulgado inúmeros casos de perversidade e violência praticados por jovens que pertencem a famílias abastadas. O que afasta a hipótese de falta de dinheiro ou de instrução.
 
Tudo isso nos leva a crer que a linhagem social e a tradição não são obstáculos à manifestação da delinqüência, uma vez que dentro dessas famílias os exemplos nem sempre são salutares.
 
Percebe-se, no seio das famílias ditas tradicionais, a inversão de valores, a corrupção dos costumes, o desprezo às leis, a imposição dos caprichos pessoais em detrimento da justiça, e assim por diante.
 
Ainda na mesma linha de raciocínio, percebe-se pais que transferem a educação a terceiros, porque não têm tempo para dedicar à prole, uma vez que precisam dedicar as horas aos compromissos sociais.
 
Não se dão conta, esses pais, que pela vivência estabelecem diretrizes de comportamento aos filhos, de cujas ações não podem se queixar mais tarde.
 
Ademais, devemos considerar que a leviandade de mestres e educadores imaturos, não habilitados moralmente para os relevantes misteres de preparação das mentes e caracteres em formação, contribui, igualmente, com larga quota de responsabilidade no capítulo da delinqüência juvenil, da agressividade e da violência vigentes.
 
Devemos considerar ainda, que se quisermos eliminar o problema da perversidade e da violência da nossa sociedade, será preciso mais que medidas punitivas.
 
Será preciso reformular conceitos, repensar valores, reformar a intimidade, e adotar a doutrina cristã como diretriz segura, para os nossos passos.
 
Ensinar à criança e ao jovem a valorização e o respeito pela vida, através do próprio exemplo.
 
E, por fim, apresentar a moral ensinada por Jesus aos nossos filhos. Apresentar esse ensino como modelo e guia da humanidade e, como psicoterapia ideal que nos conduzirá a Deus.
 
* * *
 
O homem iluminado interiormente pela flama cristã da certeza quanto à sobrevivência do Espírito ao túmulo e da sua antecedência ao berço, sabendo-se herdeiro de si mesmo, modifica-se.
 
Modificando-se, muda o meio onde vive, transformando a comunidade que deixa de a ele se impor para dele receber a contribuição expressiva e retificadora.
 
Redação do Momento Espírita, com base no cap. 7 do livro Após a tempestade, do Espírito Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo P. Franco, ed. Leal.
 
Em 06.02.2008.
 
www.momento.com.br